logotype
Uso de metformina associado a maior mortalidade em pacientes com creatinina alta
 

Contexto 

A metformina é recomendada como tratamento de primeira linha para pacientes com diabetes tipo 2. Entretanto, o uso deste medicamento tem sido contraindicado em indivíduos com função renal comprometida devido ao risco estimado de acidose lática. Atualmente há evidências que apoiam o uso cauteloso de metformina em pessoas com doença renal crônica leve a moderada.
Entretanto, ainda faltam estudos que analisem o uso de metformina em pacientes com doença renal crônica avançada. Tivemos como objetivo avaliar a segurança da metformina em pacientes com diabetes tipo 2 e doença renal crônica avançada (aproximadamente estágio 5).
Métodos 
Realizamos um estudo retrospectivo, observacional, de coortes de pacientes com diabetes tipo 2 que foram incluídos prospectivamente no banco de dados de pesquisa do seguro de saúde nacional de Taiwan entre 1 de janeiro de 2000 e 30 de junho de 2009, e tiveram dados de acompanhamento até 31 de dezembro de 2009. Incluímos indivíduos com uma concentração sérica de creatinina maior que 530 µmol/l, que é aproximadamente equivalente ao estágio 5 da doença renal crônica. De uma amostragem consecutiva de 12.350 pacientes com diabetes tipo 2 e doença renal crônica, 1.005 usavam metformina e 11.345 não usavam. Foram comparados usuários e não usuários de metformina por pontuação de propensão em uma razão de 1:3. Nosso resultado primário foi mortalidade por todas as causas.

Achados 

Foram comparados 813 usuários de metformina por pontuação de propensão com 2.439 não usuários. Os dois grupos de pacientes não diferiram significativamente por 30 variáveis basais clínicas e socioeconômicas. O acompanhamento mediano na coorte correspondente foi de 2,1 anos (faixa de 0,3 a 9,8). A mortalidade por todas as causas foi relatada em 434 (53%) dos 813 usuários de metformina e em 1.012 (41%) dos 2.439 não usuários. Após o ajuste de multivariáveis, o uso da metformina foi um fator de risco independente para mortalidade (taxa de risco ajustada 1,35, IC de 95% 1,20–1,51; p<0,0001). O risco aumentado de mortalidade era dependente da dose e foi consistente por todos os subgrupos de análises. Entretanto, o uso da metformina comparado ao não uso foi associado com um risco mais alto, mas não significativo, de acidose metabólica (1,6 contra 1,3 eventos por 100 pacientes-anos; taxa de risco ajustada 1,30, IC de 95% 0,88–1,93; p=0,19).
Interpretação 
O uso de metformina em pessoas com diabetes tipo 2 e uma concentração de creatinina sérica maior que 530 µmol/l está associado a um risco significativamente aumentado de mortalidade por todas as causas, em comparação a não usuários. O uso de metformina não deve ser encorajado neste grupo de pacientes.